Marketing na Fotografia

Olá meu amigo fotógrafo, deixa eu me apresentar para vocês, meu nome é Glaucio Lacerda, nasci em 1968 e com 19 anos, comecei a trabalhar com a área de eventos sociais e hoje me dedico ao Marketing na Fotografia.

Até mais ou menos o ano de 1996 eu fazia a parte de vídeo para casamentos e eventos sociais e empresarias. Fiz trabalhos também na área de comerciais para TV e institucionais para a VARIG, para o Exército do Brasil, para a Rede Tropical de Hotéis e muitos outros clientes.

O começo na fotografia

Lembro que quando comecei a fazer fotos para casamento, achava muito chato aquelas fotos marcadas, ou seja, todos os eventos eram sempre com as mesmas fotos, com as mesmas poses e não mudava nada.

Formado em Comunicação Social, na área de Radialismo pela na antiga Faculdade da Cidade no Rio de Janeiro, que abrange direção de rádio e TV, tinha em mim a vontade de contar uma história nas fotos, assim como fazia nos vídeos.

Os fotógrafos de casamento da época me chamavam de maluco, falavam que eu “brincava de fazer foto”. Não queriam acreditar na proposta que eu estava tentando implantar e me desqualificavam com as noivas e os clientes em geral.

Tinha comigo a idéia de fazer uma foto nova nos eventos sociais, uma foto que contasse o que estava acontecendo, que mostrasse as festas, a alegria dos convidados, que mostrasse a decoração.

Nascia para mim a foto-reportagem ou fotojornalismo no casamento.

O Fotógrafo de Casamento

Como todo começo, foi difícil implantar esta idéia na cabeça das pessoas, mas sabia que quando isso acontecesse eu cresceria muito e seria “pioneiro” neste tipo de trabalho.

Tinha 1 ou 2 concorrentes aqui no Rio de janeiro, que faziam algo parecido, mas ainda diferente do que queria.

Lembro que era difícil mostrar este idéia, este conceito sem ter um mostruário para passar as idéias, mas conseguia vender o que queria e os eventos começaram a surgir.

Pegava carona na “preguiça” dos fotógrafos de casamento da época, que não queriam e não faziam o que eu estava começando a implantar por aqui.

Fiz eventos de artistas, de jogadores de futebol, de políticos, juízes e tantos outros que nem precisava me preocupar em ter uma estratégia de marketing pronta para conseguir mais clientes.

Bastava ficar sentado no escritório que o telefone tocava e os contratos eram fechados, não precisava ter uma marketing na fotografia que eu fazia.

Chegava a fazer 120 festas por ano, era uma loucura.

Os fotógrafos daqui do Rio de Janeiro, começaram a ver que tinha alguma coisa nova acontecendo no mercado e, agora, ao invés de me criticar, começaram a me copiar.

O boom dos últimos anos

Depois que começou a chegar por aqui as câmeras digitais, o mercado começou a mudar e muito. Mais uma vez parti para o novo, o desconhecido, a fotografia digital e, mais uma vez, fui criticado pelos fotógrafos daqui.

filme-negativo-fotografoAs pessoas começaram a “perder o medo” da fotografia, pois na era do filme, o fotógrafo tinha que saber de ISO, de diafragma, de obturador, de latitude do filme e muitas outras informações.

Com o digital chegou ao conceito, errado, que era só clicar, olhar e depois corrigir no Photoshop®.

Como já fazia um álbum de casamento num estilo diferente, com mais de uma foto por página, ok hoje é normal, mas falo de 20 anos atrás, precisava agora abandonar meu laboratório manual, sim eu tinha um laboratório, já que ninguém topava fazer minhas fotos eu tive que comprar o meu próprio laboratório. E assim lá fui eu.

Pronto, tinha minha câmera digital, encontrei um laboratório que faziam ampliação digital e lá estava eu de novo na dianteira do mercado daqui, propondo mudanças, claro que muito mais fáceis, já que o mundo caminhava nesta direção.

Mas os problemas começaram também com a fotografia digital. Muita gente começou a comprar uma máquina aqui outra ali e PRONTO, se intitulavam fotógrafos.

A partir de 2009 o mercado super aqueceu, lembro de ver fotógrafos conhecidos começar a se desesperar, pois a partir desta época, começou a ter mais profissionais que eventos.

A Era Digital

Com o número de eventos caindo, pois a proporção fotógrafo x evento começou a mudar num ritmo acelerado, pensei como poderia mudar, mais uma vez o meu ritmo de trabalho.

A solução que achei foi até simples, se agora tem muito fotógrafo, logo teremos muitos álbuns e aqui no Rio de Janeiro, não tínhamos grandes encadernadoras. E lá fui eu abrir uma encadernadora, a ReportAlbum Encadernadora Fotográfica , hoje, graças a Deus e a muito trabalho, um sucesso.

Porém faltava algo a mais, ainda tinha um vazio esperando ser preenchido. Foi quando comecei a estudar o marketing digital e isso muda toda a história.

Marketing na Fotografia

Comecei a estudar muito como o mundo digital, o mundo da internet poderia mudar o que já existia na fotografia de casamento que conhecemos. E, confesso a vocês, estou apaixonado pelo que estou aprendendo e vendo.

E é isso que quero passar para vocês, é como fazer o trabalho de todos os fotógrafos, não só do Rio de Janeiro, mas do Brasil conseguirem alavancar seus trabalhos pela internet, através do Marketing na Fotografia.

Tenho o meu site de fotógrafo há vários anos e hoje, mais do que nunca, me assusto em ver profissionais da área não terem seu nome registrado na internet. Como é possível? Acham que se postar uma foto hoje e outra daqui a alguns dias no Facebook, tudo estará resolvido.

Não, não é assim e é isso que vou tentar mostrar.

Criei um canal no Youtube e gostaria muito que vocês se inscrevessem, vejam o vídeo de boas vindas que coloquei lá.


Clique no botão e inscreva-se.  

Espero realmente que possamos trocar muitas experiências aqui, façam deste site, do nosso canal do Youtube, da nossa página do Facebook, do nosso Instagram, do Twitter e do Google+ um local para tirarmos dúvidas e colocarmos opiniões e casos que façam todos crescerem e multiplicar seus negócios.

Vejam os posts deste site pelo nosso Blog.

Obrigado pela atenção de vocês vamos juntos!!!